quarta-feira, 16 de junho de 2010

Lisboa e o Tejo


Podem ver mais aguarelas em www.jrosa.com

Quando atravessamos o Tejo, entre Cacilhas e Lisboa, todos os dias cria-se um cansaço que nos turva o olhar. Não vemos a beleza do rio e da cidade. Mas se estivermos longe de Lisboa, num país distante, por mais belezas que tenhamos visto, quando nos aproximamos desta cidade há uma alegria, uma luz, enfim, uma sensação indescritível que nos leva a concluir que Lisboa é linda e... deveria ser melhor.
As margens do Tejo merecem mais respeito pela sua beleza, pela sua história. Não consigo aceitar a mudança do cais do Terreiro do Paço para a Ribeira, a seguir ao Cais do Sodré e, muito mais grave, que tenham construído monstruosos mamarrachos que impedem os cidadãos de passear livremente junto à margem. São autênticas ofensas à cidade, aos cidadãos e a todos os apreciadores da beleza. Estes abortos de cimento deveriam ser abatidos e as duas margens do Tejo deveriam ser património mundial para evitar estes crimes.

1 comentário:

Pinkye disse...

Concordo absolutamente! Passo muitos meses em Bruges, outra bela cidade, quando volto a Lisboa fico sempre encantada pela beleza e pela luz. Por outro lado repugna-me o modo como as margens são tratadas. Desde a Expo98, quando renovaram aquela zona, nunca mais se fez nada a não ser "merda" tal como os mamarrachos que nos impossibilitam de passear pela margem do Tejo. Vergonhoso!