quarta-feira, 30 de junho de 2010

Fonte da Sabuga - Pormenor



Já célebre pela pureza das suas águas em meados do século XVII, como refere um documento que nos relata duas visitas reais a Sintra, respectivamente em 1652 e 1654, esta fonte foi reconstruida em 1757, provavelmente por ter ficado danificada com o terramoto de 1755. Às águas que brotam das suas bicas em forma de seios, são atribuídas propriedades medicinais e foi comercializada durante a primeira metade do século XX. Segundo a tradição popular, diz o povo que quem beber água da Sabuga, jamais abandonará Sintra.


quarta-feira, 16 de junho de 2010

Lisboa e o Tejo


Podem ver mais aguarelas em www.jrosa.com

Quando atravessamos o Tejo, entre Cacilhas e Lisboa, todos os dias cria-se um cansaço que nos turva o olhar. Não vemos a beleza do rio e da cidade. Mas se estivermos longe de Lisboa, num país distante, por mais belezas que tenhamos visto, quando nos aproximamos desta cidade há uma alegria, uma luz, enfim, uma sensação indescritível que nos leva a concluir que Lisboa é linda e... deveria ser melhor.
As margens do Tejo merecem mais respeito pela sua beleza, pela sua história. Não consigo aceitar a mudança do cais do Terreiro do Paço para a Ribeira, a seguir ao Cais do Sodré e, muito mais grave, que tenham construído monstruosos mamarrachos que impedem os cidadãos de passear livremente junto à margem. São autênticas ofensas à cidade, aos cidadãos e a todos os apreciadores da beleza. Estes abortos de cimento deveriam ser abatidos e as duas margens do Tejo deveriam ser património mundial para evitar estes crimes.

sexta-feira, 4 de junho de 2010